31 de jan de 2009

E A SOLIDÃO, MISS DICKINSON?

cacos de espelho refletem
pedaços de vida:
não sei se cada caco contém
uma vida inteira em pedaços
ou pedaços inteiros
de uma vida partida;

sei que apenas os contemple
mudam-se em calidoscópicas cores,
tornam-se vidas em sombras convertidas,
tornam-se sombras as vidas repartidas
e como tenazes agarram-se às dores
todos os amores que não vivi,
no centro da espiral em movimentos loucos
a solidão metamorfoseia-se neste verso:
“a drop fell on the apple tree”
e chamo miss Dickinson em gritos roucos,
que há tempos prendo no meu coração,
para juntar os cacos dessa profunda solidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário