22 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Jan Saudek)



129.




Tudo compra o dinheiro.

Até amor. 

E paga-se ainda mais caro

ao amor verdadeiro.








21 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Foto de Man Ray - Henry Miller, 1946)



128.




São os meus poemas pérolas ao tempo.

Não me importa que os leve o vento:

livres como os pássaros voem 

ou façam ninhos,

cada canto expresse sempre

tão apenas o meu pensamento.








20 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Foto de Michael Otto)



127.




Na busca inútil

da felicidade,

não deixe de viver

os momentos felizes.








19 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Foto de Igor Amelkovich) 



126.




Criou o homem as artes,

os jogos,

as cidades,

a agricultura,

as ciências,

mas não conseguiu criar

a chave que o liberte

da gaiola das crenças absurdas.






18 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Jaeda Dewalt)



125.





Podemos, sim, escapar da vida;

mas não podemos jamais

escapar da morte.









17 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Jock Sturges)



124.




Encaixotamos o tempo

em unidades que vão

desde o segundo até milênios.

Mas o tempo 

nem liga para isso,

e nos prende em suas teias

inexoravelmente.





16 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Foto de Pauline Darley)




123.





Não há razão 

para a loucura humana.

O homem faz a guerra

e nela enterra

qualquer possibilidade

de redenção.





15 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Foto de Nan Goldin)



122.



O palavrão que explode

da minha boca

não suja teus ouvidos

nem os meus lábios.

O que realmente polui

de merda o teu cérebro

e todo o meu ser

é o teu ódio

ao que não vês

no espelho.




14 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Chema Madoz)



121.




Ouço Mahler

e compreendo Beethoven.

Mergulho em Beethoven

e encontro Bach.

Mas em Bach,

não há nada 

além

da

síntese.








12 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Foto de Zé Diogo & Diamantino Jesus)



120.




Digo sempre que odeio

todos os deuses.

Bobagem.

São eles que me odeiam.




11 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Ator Fransérgio Araújo - foto de A. não identificado)



119.





Sei que bebo muito,

às vezes.

Sei que exagero nas palavras,

às vezes.

Sei que falo sem pensar,

às vezes.

Mas, que diabo,

se não o fizesse assim,

às vezes,

já teria morrido há tempos,

de tédio.








10 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Foto de A. não identificado)



118.





Não há coisa mais descabida

que defunto maior que a própria vida:

até poeta de verso torto

vira gênio depois de morto.








9 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Noel Jabbour) 


117.



Chuta, vai, chuta com vontade

o velho balde da vida,

cada vez mais cheio.

Cuida, no entanto,

que não volte para tua cara

todo o seu recheio.









8 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA





(Foto de Jan Saudek)



116.



Sei que brinco com a vida.

Mas, perdoa-me,

se isso te incomoda,

embora não me importe.

Brinco com vida,

para não levar a sério

- a morte.







7 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Nietzshe; foto de A. não identificado)




115.





Achei, achei, enfim

achei o túmulo de deus:

está bem no fundo

do meu cérebro fecundo.





6 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA






(Foto da A. não identificado)



114.




No palco,

os atores até que se esforçam:

buscam no grito

criar um conflito.

Em vão:

esvai-se a ação

do autor trolha

e sem remédio estoura

como uma bolha

de sabão.

Que tédio!




5 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA



(Foto de Olivier Valsecchi) 




113.





Faça as contas:

se você tem 60 anos,

20 passou-os dormindo.

Se viver mais 12,

e não mais dormir,

pode morrer com 76.






4 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Sesbastian Schramm)



112.




A bola foge

para o quintal vizinho:

fica adiado

o desempate.





3 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Chema Madoz)



111.




No meio da tarde,

o bêbado tropeça e quase cai:

é que a rua rola mais depressa

que suas pernas.




2 de mai de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Sesbastian Schramm)



110.




Na noite insone,

o tubo da TV

me come 

e me consome.