21 de abr de 2011

CAMINHOS




(Cézanne - Pissarro, casario)





Gosto dos caminhos
que parecem não ter fim,
ao se perderem no horizonte.
Como a vida, são enganosos,
e a nossos olhos encantam,
porque, como a vida,
são caminhos que se acabam
não na curva do horizonte,
mas logo ali,
no declive da montanha.




18.4.2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário