8 de set de 2011

BRASILIANAS - II

(Sergei Aparin)


falando de trabalho,





nos desvãos da pátria
há muitos ossos que não foram enterrados





nos desvãos da pátria
há muitos contos que não foram exorcizados





nos desvãos da pátria
há muitos heróis que se esqueceram do mito





nos desvãos da pátria
há milhares de destroços entronizados





nos desvãos da pátria
cabem todos os sonhos e todos os pesadelos





(é preciso aplainar os desvãos da pátria)

Nenhum comentário:

Postar um comentário