6 de jan de 2017

BECO SEM SAÍDA




(Foto de Jan Saudek)



1.



Por que falar de rouxinóis,

se nada sei de rouxinóis?

No meu quintal, apenas de sabiás e bem-te-vis

o canto encanta a tarde.

Não os rouxinóis.

No meu poema, também não há

que falar de dores, de amores.

No meu canto apenas a vida

tece e entretece a rede

onde irá dormir um dia o poeta

para sempre.

Por isso, não falo de rouxinóis

nem de dores nem de amores.


Nenhum comentário:

Postar um comentário