16 de jul de 2017

silêncio do poeta





(James Abbott McNeill) 




em silêncio, nasce um botão e transforma-se em flor;

em silêncio, seca a roupa no varau;

em silêncio, o sol vem e vai de nossos olhos

a cada rotação silenciosa da Terra;

em silêncio, o espermatozoide encontra o óvulo

e ambos, silenciosamente, formam um novo ser;

em silêncio, ouvia Beethoven os sons da Nona Sinfonia;

rasteja o verme no fundo da terra em silêncio

e em silêncio o mal consome o corpo;

por isso, em silêncio morre o poeta

e seus poemas são o seu único grito sobre a terra.


10.6.2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário