22 de fev de 2010

BRASILIANAS - 14







Mineiro é bicho que não navega,
não por não ter onde fazê-lo:
é que ele nunca se entrega
ao vento e ao mar sem antes muito zelo.

O vento, em Minas, é sonho;
o mar, áspera montanha:
ao vento a vida disponho,
no mar, a morte me assanha.

Porém, por tudo quanto passeio,
deixo em Minas meus navios:
se pelas ondas do mar anseio,
bato em asas de vento os meus desvios.


11.10.99

(Ilustração: Portinari – dom Quixote)



Nenhum comentário:

Postar um comentário