7 de jan de 2011

QUANDO EU FOR A PARIS

(René Magritte - l'art de vivre)




quando um dia eu for a Paris
não irei como turista
não irei com o olhar de descoberta
nem irei com o olhar da inocência
irei apenas
sem outra ilusão que a de andar
um pouco por suas ruas
não importa quão belas
não importa quão históricas e também
não me importarão os monumentos
não me importarão os museus e igrejas
só irei andar um pouco por becos e avenidas
olhando a vida – não a vida de Paris –
mas a minha própria vida
porque se algum dia eu for a Paris
irei apenas a Paris
sem contar pra ninguém
que irei a Paris e quando voltar
não direi também nada a ninguém
que terei ido a Paris
sem tirar uma só fotografia
e Paris morrerá comigo em minhas retinas
como uma cidade só minha
porque se um dia eu for a Paris
não voltarei para contar por onde andei
nem comentarei com meus amigos
nem publicarei crônicas
ou relatos interessantes sobre seus habitantes
ou seus monumentos e museus e igrejas
não farei poses sobre as pontes
para uma fotografia ansiosa e rápida
porque eu não terei jamais uma fotografia
para dizer a quem quer que seja
que eu estive em Paris
porque meus amigos
Paris ficará apenas em minhas retinas
somente em meu pensamento
como a cidade sonho que um dia
jamais talvez eu venha a visitar

Nenhum comentário:

Postar um comentário