7 de mar de 2010

BRASILIANAS - 26




da carta de Caminha (10)


do ribeiro, água – muita e boa
da palmeira, o palmito – logo comido

das gentes, o riso – sempre farto
dos corpos, o cheiro – sempre limpos

da terra, a grandeza – não mais
nem ouro, nem prata, nem ferro

mas de tudo o que nela há
fica a fé e nada mais


17.4.2000

(ilustração: descobrimento do brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário