22 de nov de 2016

desesperança

(Rothko - mural section- black on maroon - 1959)





embora a primavera caminhe para a metade

é frio e ventoso o tempo como se ainda fosse inverno

a lua mal chega às flores do jardim

e as noites sem lua exigem quartos fechados

assim também o poeta assombra as ruas e caminha ao vento

frio em seus lamentos

sonolento em seus passos lentos

como se ainda vivesse o tempo de outrora

temendo os dias que ainda virão

tremendo à lembrança de amores mortos

sua primavera escura traduz-se em cantos

que ao vento e à chuva parecem lágrimas

são doces anseios que se afogaram

nos rios cheios de verões passados

anseios agora ultrapassados e negados

pela permanência do vento frio

que promete tornar escuros até os dias de sol

dos tempos límpidos dos verões vindouros



6.11.2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário