10 de mar de 2011

a república



(Andrea Kemp)




soprava sempre o vento na mesma direção
e os cheiros de miséria provocavam rinites alérgicas
nas mesas de mansões do morumbi
gatos e cães desafiavam o poder
lambendo botas e saltos altos por sob toalhas de linho
e o vento sempre sempre a soprar
sempre a soprar na mesma direção
o sol que brilhava na república nunca era o mesmo
ora olhava o vento que soprava na mesma direção
ora soltava faíscas na prataria da casa grande
dos novos engenhos dos engenheiros do dólar
e mesmo que alguém dissesse que o sol era injusto
não parava ele para pensar no assunto
no meio do lixo até o bife podre pode parecer apetecível
antes que ratos e baratas o tomem
no meio da merda até coliformes fecais são artigos de luxo
quando o vento sopra sempre na mesma direção
e a república torce o nariz sem sentir a rinite de seus pares mais ricos
o ar esnobe da república é assim mesmo
porque ela estudou na sorbonne e um dia foi exilada política


domingo, 11 de fevereiro de 2001



Nenhum comentário:

Postar um comentário