16 de jun de 2017

beco escuro



(Jean Cocteau)





à gélida lua de junho

dois travestis fumam crack

no beco escuro entre dois sobrados

mal se vê à luz da lua o punho

que segura o cachimbo mal ajambrado

dois travestis que fumam crack

passa na avenida devagar a viatura

dentro dela três soldados

holofote sobre os vultos assustados

dois travestis que fumam crack

no beco escuro entre dois sobrados

o ruído seco da metranca e o baque

o baque surdo de corpos desamparados

na noite escura bate uma porta

fecha-se a janela de um dos sobrados

eram dois travestis – quem se importa?

10.7.2017



Nenhum comentário:

Postar um comentário