11 de dez de 2008

VELHO, VELHÍSSIMO TEMA (em haikai)





(Alma Tadema)




Sussurra o vento: psiu!
sem bulha!Mas – ploc-
a rã mergulha.



No velho lago, pula
a rã: dia aziago,
sem amanhã.



Não se ouve o baque
no velho tanque
do pulo da rã.



Destranque
a tarde o pulo da rã
no velho tanque.



Chap, chap,
que foi isso?
A rã, no tanque.



Nenhum comentário:

Postar um comentário