7 de out de 2016

sexo e política





(Jan SADELER -Une orgie avant le déluge- 17siecle - Musee du Louvre)



deixem-me compor

os versos mais lúbricos

não queiram sancionar

e confundir

meus anseios de amor e sexo

com todo o turbilhão

da luta de classes

do ódio ao burguês

e às injustiças do mundo

escondo no gozo

os gritos de guerra

encravo nos orgasmos

o espanto dos miseráveis

e sonho com um mundo

de gozos e taras e igualdades

em que da bunda gorda

de cada burguês que chutarmos

brote assim de repente

a brisa que levanta

a saia das mulheres

deixem-me pois

compor os meus delírios

de ventres abertos

e pernas torneadas

ao mesmo tempo decompor

do pútrido charco

da luta sem fim

os desmandos e desastres

de cada burguês

no fim dos seus tempos



17.9.2016


Nenhum comentário:

Postar um comentário