21 de nov de 2017

bloco concreto



 (Piet Mondrian)




um dia de garoa sem garoa

desprendeu-se de um espigão na avenida paulista

um big bloco concreto

bem no meio do caminho

bem no meio da passagem das pessoas

lá ficou o blocão desprendido

que foi medido

e conferido

observado

e fotografado

chutado

e xingado

comentado

e elogiado

cuspido

e escarnecido

por bancários e banqueiros

por funcionários públicos e escriturários

gente pobre e gente rica

jogador de futebol e padre de batina preta

até o cãozinho da madame não se furtou

a um xixi rápido de perninha levantada

tudo inútil

no meio da passagem das pessoas o blocão concreto

o bloco concretão

até que alguém

talvez um prefeito

um alcaide cioso de sua cidade

um vereador querendo publicidade

um dono de banco preocupado com a passagem obstruída

impedindo o livre tráfico do seu dinheiro

sei lá quem

alguém

foi lá e empurrou não sem muito esforço e com a ajuda

de um trator

o danado do blocão concreto

para um canto da avenida

que não estorvasse o dia a dia da cidade

na avenida dos paulistas da garoa



a garoa sumiu

o corinthians ganhou o campeonato

o padre jogou fora a batina preta

os casarões foram demolidos

mais espigões foram erguidos

o povão empobreceu e depois enriqueceu

e tornou a empobrecer

e até mesmo se acostumou

ou mesmo nem viu ou nem mais percebeu

que lá ficara o blocão concreto

o bloco concretão

ao vento

à chuva

à poeira dos carros

à poluição dos fumantes

servindo de vez em quando de púlpito

para o pregador de bíblia na mão

e lá o blocão concreto

em seu canto todo quieto

sem nada nem ninguém

que o cobrisse ou cobrisse

suas vergonhas

de vez em quando alguém

chega até ele

limpa um pouco o seu limo

tira umas fotos

publica no jornal

reclama no facebook

que paulista não tem memória

e fica tudo por isso mesmo



o blocão

não sai do lugar

não fala

não tuge nem muge

ou se tuge e muge

ninguém vê

ninguém ouve

fica lá

mudo e surdo

cego e tonto

como um blocão concreto deve ser

para sempre

sempre

sempr

semp

sem

se

s

.

.

.

sem saída



24.10.2017










Nenhum comentário:

Postar um comentário