28 de ago de 2010

POEMAS ESPARSOS - 1
























(Guennadi Ulibin)







No céu a lua







No céu a lua


corno crescente


pálida e nua:mais presente


que o rosto angelical


de musas românticas...


No mar o temporal


leva ao vento a vela


enfunada e branca.


Luta por ela


um louco marujo.


E a vela em lua,


embora solta,


resiste ao vento.


Assim fendida


em dobras rotas


a vela vai


levando o barco.


No céu a lua.


No mar a vela.


No peito a dor


do velho marujo.


Estanca o vento


vence à onda


o lenho tosco


na luta atroz


contra a tormenta.


Estanca o vento,


não a dor.


Vento vira brisa.


Perde a força a procela.


Jogada à própria sorte


flutua à lua


a branca vela.


Jogado ao leme,


o audaz marujo


encontra a morte


ao ver na lua


a imagem nua


o rosto branco


de uma mulher.





12.11.91

Nenhum comentário:

Postar um comentário