6 de set de 2016

apreço

(Salvador Dalí)






sempre se paga o preço

de qualquer apreço

se no peito como de gesso

bate sem pejo o coração



soltam-se os demônios

mas eles voltarão

atraídos por feromônios

do medo da solidão



e mesmo que a preço

de ouro e da liberdade

consiga-se algum apreço

já de nada vale a vontade


5.9.2016



Nenhum comentário:

Postar um comentário