5 de ago de 2016

noturno número 4





(Vítor Fernandes - Ibitipoca - MG)




com saudades das noites de Minas

escrevo noturnos ao entardecer

quando o sol ainda escorre o amarelo ouro

pelos muros negros da rua deserta

é domingo

os poucos transeuntes olham desconfiados

para o céu azul sem uma nuvem sequer

parece que esperam o tempo mudar a qualquer instante

é domingo

o tempo escoa a preguiça e o passo lento

não haverá noite de estrelas ou de luar

é domingo

mata-me aos poucos a saudade 

das noites de Minas 







19.6.2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário