9 de mai de 2010

POEMAS DO MUNDO: fractais 1


(Antônio Bandeira)



frágil
vaga estrutura
fracciona-se
em cores
e espinhos
abismos e montanhas
estrelas
rosas e girassóis
o centro
em mil estilhaços
partido
unido
repartido
reunido
átomos de luz
luz em prótons
prótons em
nêutrons
explodem
instáveis
em novas estruturas
sempre as mesmas
iguais
desiguais
num tempo
inenarrável
sombras e luzes
luzes e cores e cores e luzes
big-bang
num flash
de formas deformadas
profundidades e protuberâncias
frações
segundos
na superfície lisa e clara
da pérola rara.



3.6.92

Nenhum comentário:

Postar um comentário