16 de mai de 2010

POEMAS DO MUNDO: fractais 7


(Antônio Bandeira)


foca-se o ponto
ligam-se as luzes
desligam-se as mentes
começa a viagem
ao mundo etéreo
do prótons e nêutrons
flechas de âmbar
deuses descalços
demandam buracos
negros do espaço
estrelas e flores
de cores de abismos
ordenam o caos
em rio de larvas
em vidas tornadas
em mares de espumas
de esgares retidos
no fundo abissal
que ao alto se eleva
um raio finíssimo
a mente abrirá
para o doce futuro
que um dia virá



5.6.92



Nenhum comentário:

Postar um comentário