13 de out de 2010

POEMAS ESPARSOS - 19


(Guennadi Ulibin)



Miseráveis



Busco em ti,
prostituta de Paris,
o mesmo que sempre vi na Roma dos travestis;
reconheço em ti,
menino de rua,
das ruas de São Paulo,
a verdade ainda nua
que sempre sofri;
revejo em ti,
gueixa-mulher do Japão,
toda a discriminação
que sempre combati;
associo a ti,
negro pobre de Nova Iorque,
tndo o assédio torpe
do capital que te rodeia;
renego em ti,
muçulmana entrevista,
a religião fundamentalista,
a tecer a teia
da escravidão;
desprezo em ti,
jovem do morro de Janeiro,
promessas de ano inteiro,
que te fazem governantes;
bichas e negras,
gueixas e pobres,
do mundo das trevas.
à luz que vos encobre,
tendes em tudo toda a dor
de terdes, à margem da margem,
o esgoto do amor
num pão que vos dais
a podre sociedade
que vós ameaçais.


2.8.93

Nenhum comentário:

Postar um comentário