23 de out de 2010

POEMAS ESPARSOS - 23


(Guennadi Ulibin)



Simples beijo




Sonham-se ficções na noite fria
e a realidade em passado se transforma.
Do futuro assomam e assombram
imagens nunca antes imaginadas.
Para o sudeste aponta agora o Cruzeiro
como se o céu, deslocado em seu eixo,
um novo firmamento aos olhos desenhasse.
Como fogos-fátuos fúlgidas luas
à noite traz o dia eterno.
Não há mais pesadelos. Nem sonhos.
Ficaram para trás o presente e o passado
e o mundo respira apenas o futuro.
Morreu também a poesia simples
da brisa de primavera a balançar a flor.
No fundo da alma humana paira, no entanto,o banzo eterno do amor um dia vivido
no sonho simples de um simples beijo.



Divinópolis, MG 9.7.94

Nenhum comentário:

Postar um comentário