30 de dez de 2016

reflexões sobre a natureza




(Claude Monet - Impression Sunrise)







quando abro a janela de meu quarto

já nas tardias horas de manhãs de sol ou chuva

não tenho paisagens para contemplar

apenas o verde de minhas árvores

e às vezes o canto do bem-te-vi para me alegrar



por que digo isso assim de forma tão prosaica

nas linhas do que deveria ser um poema



é porque eu sei que existem pessoas por aí

que se deparam com paisagens deslumbrantes

da natureza em toda a sua potência

quando abrem as janelas de seus quartos

em manhãs de sol ou de chuva



essas pessoas que a vida contemplou com tais prazeres

veem com absoluta naturalidade essas paisagens deslumbrantes

e acham que essas maravilhas todas foram criadas por um deus

para o seu deleite e o deleite do povo eleito por esse deus



não vejo no verde das minhas árvores e no canto do bem-te-vi

que alegram as minhas manhãs nenhum sinal de divindade

como não veria qualquer marca da presença de um criador

nas maravilhosas paisagens de mares e montanhas

de lagos e planícies ou de florestas imensas de árvores milenares



a natureza nem é tão bela quanto nossos olhos insistem em ver

a natureza é apenas a natureza não importa quão recortados sejam

os cimos das montanhas ou as longas praias de ondas suaves

não houve intenção de beleza ou de tornar mais felizes os homens

naquilo que chamamos de paisagens deslumbrantes

não há intenções na estranheza da floresta nem nos picos nevados

não há intenções no canto do bem-te-vi a não ser a de marcar seu território

as artes que imitam a natureza são sim a busca da beleza

uma beleza que depende muito mais dos olhos que veem

do que das mãos que tentam transformar em belo

os inalcançáveis tons e formas e sons de um rio que desce a montanha



quando abro a janela de meu quarto

em manhãs de sol ou de chuva

contemplo apenas o verde das árvores

que plantei no meu quintal

e ouço apenas o canto bravo do bem-te-vi

e sei que há naquele pequeno quadrado de solo

tanta vida e tanta beleza quanto há

nas paisagens de montanhas imensas

e desertos sem fim

que muitos contemplam quando abrem

as janelas de seus quartos e pensam

que tudo aquilo é obra de um criador

porque a natureza é apenas o que é

e não se curva à vontade de ninguém



28.12.2016




Nenhum comentário:

Postar um comentário