3 de jan de 2009

o que é um padre? - 1




(A. não identificado)


Perguntei-me um dia, num dia de todos os santos:

o que é um padre?


Não é uma dúvida filosófica, é claro,

pois um padre – em sua inexeqüível existência –

não chegaria a provocar tal consideração...


Não é uma dúvida vital, também,

pois um padre – em sua impossível importância

na ordem das coisas – não resiste

a uma necessidade diária...


Não, sem dúvida, não é preciso que eu me pergunte

o que é, afinal, um padre...


Mas num dia de todos os santos, perguntei-me!

E lá ficou a pergunta a atazanar-me os miolos,

como um chato nos pentelhos,

como uma vaca solitária em imenso campo verde,

ruminando-me a paciência.


De tanto besuntar-me o bestunto

a idéia do que fosse um padre dentro da ordem das coisas,

perdi algumas horas a remoer respostas:

um padre é... um padre é... um padre é...

afinal surgiu, clara como a tez

de um nobre norueguês,

a resposta tanto tempo buscada em meu bestunto:

um padre não precisa ser

para existir – basta que haja merda no mundo

para justificar sua pregação inútil.

E chega: não falemos mais nisso!

terça-feira, 22 de abril de 2003

Nenhum comentário:

Postar um comentário