31 de jul de 2010

POEMAS DE LOUCO AMAR - 16


Amei-te lua










Amei-te lua
nos primórdios do mundo
ao surgires nua
do mar profundo,
deusa a iluminar caminhos
de meu destino.
Amei-te em desatino,
por entre luxos e arminhos,
nas cortes plebéias
de idades distantes.
Se lutava por idéias,
nem por instantes,
de ti afastava meu sentimento.
Amei-te primeira mulher
no mágico momento
de baixar ao mar o escaler
para novo descobrimento.
Amei-te povo
ao ver de novo
nos olhos teus
o brilho feroz
de novos tempos:
sorri, então, ao algoz
ao adiar na guilhotina
por mais alguns momentos
o momento de te amar.
Amei-te escrava
em pleno mar,
enquanto empunhava
a espada para te libertar.
Amei-te deusa e princesa,
em tempos idos e perdidos.
Não vejo, pois, estranheza
em dias agora vividos,
do pouco que ainda temos,
em amar-te loucamente
por tudo quanto já vivemos.



(Ilustração: Picasso)



Um comentário: