20 de out de 2015

NOSTÁLGICA


(Cezanne - Maisons au bord d'une route;1881)



Vaga o pensamento vário
Por fundas noites de luar
Buscando ruas tortas
Praças verdes e escuras
Cidadezinha perdida em meio
Às montanhas azuis

Um violão que geme a seresta
A voz rouca e envolvente
Sobe a música pelas heras
Num tempo parado no ar

Muros portões e cães
Uma rosa deixada ao balcão
Uma sombra à veneziana

Como são tristes os muros
Que separam nossas amadas
Numa idade branca
De paixões absolutas.



BH.4.3.79

Nenhum comentário:

Postar um comentário