6 de out de 2015

O RIO (quase haikais)




(Monet)



horas fico a fio
olhando as águas que passam
as águas do rio




(Monet)




sonho com as águas
do rio o verde sonho do mar,
mas sonho sozinho




(Monet)




o peixe que pula
nunca encontra
as mesmas águas




 (Monet)




lento passa o rio,
lentas assomam das águas
as minhas mágoas




(Monet)




de cima da ponte
o que se vê: horizonte
que lento escorre




(Monet)




no mar
o rio deságua
a minha mágoa




(Monet)




um peixe pula,
um pássaro passa:
tudo é rio, tudo é água




(Monet)




a vida que escorre
nas águas do rio:
sonho apenas, nada mais




 (Renoir)



leito leve e líquido
desliza lívido o luar
leva lento e calmo
a alma livre a lembrar



  
 (Renoir)




um barco é só
um gafanhoto marrom
perdido no rio




 (Renoir)




o barco passa
leva a lembrança
 deixa a saudade




Nenhum comentário:

Postar um comentário