23 de out de 2015

UM POETA DE MINHA GERAÇÃO



(Balthus)



Um poeta de minha geração (?) enviou-me
um belo soneto
com palavras complicadas
e rimas altissonantes.
Depois de várias consultas a dicionários
nada compreendi do que estava escrito.
Entreguei-o, então, à leitura
de uma jovenzinha imatura
de dezesseis anos.
- Pô! - disse-me ela.
Concordei com a exclamação
com todas as letras
 da sutil observação.




Santo André 19.10.82

Nenhum comentário:

Postar um comentário