6 de dez de 2015

POEMAS DO COTIDIANO



Noite de luto


(martin van maele)



Possam teus pares
chamar-te sábio.
Um pouco de fidalguia
alongue os teus gestos.
Muito de paciência
reflitam teus olhos.
Que sejas entre todos
aquele a quem procuram.
Que teu passo ligeiro
a todos indique
o norte a seguir,
o instante de partir.
De teus lábios floresçam
palavras de pedra.
De tudo quanto desejas,
não sejas, no entanto,
aquele que o pranto
em noite de luto
transforma a vida
em treva infernal.

S.P. 16.10.96




FINIS



Nenhum comentário:

Postar um comentário