1 de dez de 2015

POEMAS DO COTIDIANO




Sei de ti


(martin van maele)


Sei de ti
a vida que não vivi.
Sei de ti
o desejo insano
que se esquartejou pelas esquinas de cidades virtuais.
Sei de ti
apenas que serás a deusa em chamas do inferno sobrevinda.
Sei de ti
que te quero ainda mais quanto mais distante te tornas.
Sei tudo de ti.
Sei o quanto em dor de ausência fizeste de mim escravo.
Mas de mim muito pouco soubeste,
ó miserável ser nunca de meu coração arrancado!



15.7.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário