17 de mar de 2016

LUPANÁRIO

5  

destino







na boate enfumaçada
no meio da madrugada
você despe a última peça
e só não fica nua em pelo
porque sobra sobre seu ventre
um mísero tapa-sexo
e eu penso como entrei nessa
enquanto sorvo meu campari com gelo
sonhando sonhos sem nexo
é tudo muito louco
nesse ambiente de homens fantasmas
que se inquietam um pouco
entre o palco onde você dança nua
e a fumaça de maconha e miasmas

olho seus seios pequenos você sua
e sua pele brilha à luz do spot lilás

somos amantes sou seu fiel escudeiro
pelos becos sujos onde andamos atrás
da grana fácil do idiota solteiro
que você livra do dinheiro
por um boquete ou apenas uma punheta
somos amantes e você me trai
oferecendo à toa sua boceta
a qualquer tipo que a atrai
trepando por nada ou por uns trocados
embaixo de marquise em vãos de portas
com todos os mendigos e drogados
e eu a tudo assisto atrás de um poste
pronto pra pular na jugular do idiota
se ele acaso fizer algo que você não goste
seguindo você pelas madrugadas mortas
tecendo enredos nas noites de breu
como cão sarnento a lamber feridas
dos pontapés que leva nas investidas
por um único e parco beijo seu


sp/14.12.2012




6


 nos inferninhos da rua aurora





tu dizes que me viste dançar nua
numa boate de quinta categoria
num inferninho da rua aurora

sim, querido, dancei nua quantas vezes
quis quantas vezes precisei
dancei nua para plateias de tarados e sujos
de bêbados e arruaceiros
de loucos perdidos nas madrugadas frias
e meu corpo
- não a minha pele o meu cheiro o meu tesão -
mas o meu corpo nu
transformado ali no palco mínimo e mal iluminado
consumia o calor de almas sedentas de fogo
e eu era a chama de paixões inúteis
que os homens buscam nos inferninhos da rua aurora
porque, amado, porque vocês, homens
são assim os caçadores do nada
nos pelos de nossas bocetas
e nós precisamos de vocês
não dentro de nossas vaginas, não dentro
de nossos corações
apenas os queremos como certeza de mais
um dia apenas mais um dia vivas
para renovar nos inferninhos mal iluminados
da rua aurora
nossa tênue esperança de um pouco
só um pouco
de sol


27.7.2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário