23 de mar de 2016

LUPANÁRIO

15

     piranha





rebolas e te esfregas
em mim
como fazem todas as piranhas
sei que me entregas
teu corpo, teu sexo,
como todas as piranhas
sei que dirás palavras sem nexo
pensando no frio que está lá fora
e como todas as piranhas
irás chupar meu pau
e fingir teu gozo

sei, sim, que me entregas
teu corpo, teu sexo,
até teus beijos,
mas sei que de ti não conseguirei
nada mais que a saciedade
de meus desejos
como com todas as piranhas...


13.5.2013



16    

lua bandida





folgo em vê-lo cada noite
nas esquinas da avenida
folgo em vê-lo como um cão
à procura do resto de osso
e corro a ronda da madrugada
como corça a ser caçada
mastigada, digerida e cuspida
ao amanhecer
cumpro, assim, meu destino

enquanto uivas para as luzes
dos edifícios mais altos
louco em tua busca pela lua
que cavalga nua todos os homens
como gazela assustada e satisfeita
sou, sim, a tua lua em noite silente
sou, sim, a tua lua, nem branca,
nem redonda, entre nuvens escondida,
a lua cuja luz corrói
as tuas entranhas, os teus sonhos
- a lua de salto alto, bandida
de filme de cowboy



27.8.2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário