23 de nov de 2015

POEMAS DO COTIDIANO




Coração de vidro



(martin van maele )



Nas águas loucas
que em mim deságua
o teu desejo,
quero meu barco
 a navegar incólume
e, barqueiro incipiente,
meu coração de vidro
aos teus olhos volverá
como a buscar estrelas vivas
de caminhos  inconsequentes.


12.6.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário