8 de nov de 2015

POEMAS DO COTIDIANO




Onde nascem as águas


(martin van maele)


Lá - onde nascem as águas -
onde moram lumes e luminares -
lá - onde escondes todas as mágoas -
e queimas o amor em altares
de sacrifícios - lá
está
há muito tempo, perdido,
todo o encanto
envolto em pranto
de um coração partido.

Para lá irei
para te encontrar e dizer
o quanto chorei
por não te ter.

De lá não voltarei,
mesmo que não te veja;
ainda que a hora não seja,
lá, por ti, morrerei.



s.p.27.12.95


Nenhum comentário:

Postar um comentário