14 de abr de 2010

POEMAS DO MUNDO: lira 2




Não quero ver
as rugas do teu rosto.
Mesmo que as marcas do desgosto
sombreiem teus olhos,
tuas formas - eu sei --
permanecerão nas minhas retinas,
inefáveis como o retrato invertido
de Dorian Gray.

Não quero ver
o volume de tuas formas
esconder o corpo que tanto amei.
Nada em ti se metamorfoseie,
para que eu possa encontrar a cada momento,
nos escombros do tempo e do espanto,
a mesma paixão,
o mesmo toque, o mesmo espanto,
de nossa boa e velha tesão.


16.5.86


(Ilustração: Ray Caesar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário