28 de abr de 2010

POEMAS DO MUNDO: lugares... caminhos... 7




RIO PRINCIPAL

Tietê da lembrança
Tietê da vingança
Rio que foge
cada vez que chove
do leito casto
e vira um vasto
mar de lama.

Rio puro de puras águas:
nas ruas deságuas
a sujeira humana
e afogas com teu veneno
o veneno que te sufoca.

Rio nasceste - tão pequeno:
tua pureza evoca
para do fundo do teu leito
vomitar as entranhas
da urbe que banhas
e não te dá respeito.

Tietê da vingança
Tietê da lembrança!

Afoga em teu grito de morte
o rio que foste no lodo que és

e busca impávido e forte
do sul as claras marés

ó Tietê da vingança
ó Tietê da esperança!



1.5.91


(Ilustração: São Paulo antiga -1905-Clube de Regatas do Tietê)

Nenhum comentário:

Postar um comentário